Essa Porra de Vida

Nove mil anjos mortos (ou: canção dos jovens e dos velhos)

E se este for

mais um dia esquecido por Deus,

em um lugar esquecido por Deus,

onde o perdão acompanha a dor,

os atores não cessam de rir

imutavelmente?

 

Sendo assim, pode um abraço

tornar um futuro impossível

igualmente real & tangível?

Livrar-nos da dor ao morrer

nove mil anjos que jamais iremos conhecer?

 

Os jovens e sua inocência maculada

aterrorizados por não ver o fim do horizonte.

Os velhos se desesperarão ao perceber

que o vazio de suas rugas não são experiências

mas falta de amor.

 

Logo isso acabará

– é nisso que preciso acreditar –

o silêncio do instante do beijo

nos dará a direção que precisamos para seguir,

escapar de mais um dia no inferno.

 

Vamos todos segurar a tocha até ela nos queimar

a todos

vamos todos nos prostrar até nos respeitar

a todos

vamos todos ter que suportar socos que demoliriam

a todos.

 

Porque é tão fácil aos jovens perdoar

é tão fácil aos velhos saber como amar

Por favor, vamos todos nos beijar e nos amar

a noite toda, e o dia todo e depois

a noite toda e o dia todo de novo

e de novo e de novo.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às novembro 23, 2016 por em poesia e marcado , .

Navegação

%d blogueiros gostam disto: