Essa Porra de Vida

neologismos presos no espelho

lim

 

o hábito pálido

cobre a tarde,

um corpo cálido,

a neblina durante o dia.

 

a memória arde!

 

e são tantas horas que se foram

que tudo bem…

 

lá de cima, eu vi

alguém limpando os olhos e

sufocando aranhas e vermes,

bocejando por tédio.

 

acendi meu cigarro e voltei

aos momentos mais tensos da noite

só pra ver o corpo se debater,

as mãos cansadas de segurar

vidro e areia.

 

entendi as sobrelinhas do sorriso

neologismos no espelho,

aprendi os finais das histórias

que me esqueci de contar

e vou voar, para a puta que me pariu

devorar exércitos, campos e pássaros.

 

vou ver o sangue mais turvo, entupindo as

artérias.

 

vou eu mesmo me tornar

um deus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às dezembro 24, 2013 por em poesia e marcado , .
%d blogueiros gostam disto: